BT Medical - шаблон joomla Скрипты
Odontopediatria

"Queridos pais, prevenção significa saúde, inteligência e investimento. Pessoas inteligentes investem na prevenção e boa saúde. Seja uma delas!"
Prof.Doutor Luis Pedro Ferreira

Odontopediatria

O paciente infantil pode sofrer cáries, traumatismos, alterações da erupção dentária e outros problemas que podem afectar negativamente a saúde oral presente e futura. A criança está em constante evolução e crescimento e isto converte-a num paciente odontológico diferente do adulto, com necessidades de tratamento pessoal e dentário específicas em cada momento.
O objectivo de um tratamento precoce deve se o restabelecimento das condições normais para um óptimo crescimento, desenvolvimento e funcionamento.
O êxito do tratamento odontopediátrico não é apenas a realização do mesmo, mas também lograr uma atitude positiva da criança e responsáveis para com a prevenção e manutenção da saúde oral. Este é o principal objectivo da Odontopediatria.

Como se devem iniciar os cuidados de saúde oral infantil?
Devem iniciar-se com conselhos pré-natais aos futuros pais sobre a importância de manter uma boa saúde oral. Os cuidados de saúde oral infantil devem ser vistos como a base para uma educação preventiva que proporcione as condições normais para um óptimo crescimento, desenvolvimento e funcionamento.
Mesmo antes da erupção dos dentes deve limpar-se as gengivas do bebé com uma gaze humedecida em água, bem como estabelecer hábitos correctos de alimentação.
Assim que aparece o primeiro dente, deve ser iniciado um programa diário efectivo de higiene oral para prevenção de cárie e doença paradontal sob orientação do médico dentista e/ou higienista oral.

Quando erupcionam os primeiros dentes?
Os primeiros "dentes de leite" erupcionam entre os 6-8 meses de idade e até aos 2, 5-3 anos de idade 20 dentes temporários devem aparecer na boca da criança, embora se possa considerar completamente normal ligeiras variações individuais.

A erupção dos dentes pode causar algum incómodo e sintomas como o aumento de salivação, ansiedade, perda de apetite ou dificuldade em dormir, são usuais. O seu dentista pode dar-lhe algumas sugestões de como aliviar a situação.

Quando surgem os dentes definitivos?
A mudança dos dentes dá-se normalmente em duas fases:

-Entre os 6-8 anos;
-Entre os 10-12 anos.
Um facto importante é a aparição aos 6 anos do 1º molar permanente que erupciona atrás do 2º molar decíduo (de leite). Ao não implicar a queda de nenhum dente temporário a sua presença pode passar despercebida e confundir os pais que pensam vir a ser substituído mais tarde.

Qual a idade ideal para a 1ª consulta ao dentista?
A Academia Europeia e Americana de Odontopediatria recomendam fazer a primeira visita ao dentista até ao primeiro ano de idade. Idealmente estas visitas servem para uma observação do estado da saúde oral da criança e informar os pais sobre atitudes preventivas, detectar hábitos nocivos (utilização inadequada de biberão, chupeta), e estabelecer um programa adequado ao grau de risco de cada paciente.

Qual a importância dos primeiros dentes?
Os dentes temporários têm várias e importantes funções para o desenvolvimento normal das crianças, tais como: estética, mastigação, manter o espaço para os dentes permanentes, fonética, influência no crescimento dos maxilares, respiração e deglutinação. Não devemos esquecer que os últimos dentes a serem substituídos (os molares) não caem antes dos 11-12 anos e devem realizar as funções correctamente até então.

Devem tratar-se os dentes de leite?
Os dentes temporários podem ser afectados por cárie tal como os definitivos. As características próprias dos primeiros dentes fazem com que, uma vez que se inicia a cárie, esta avance rapidamente e afecte o tecido nervoso do dente mais depressa que nos definitivos. Evitar a dor produzida pela cárie já é razão suficiente para conservar a saúde dos dentes, e além disso, há que recordar que a cárie é um processo infeccioso e pode afectar a formação dos dentes permanentes, bem como a saúde em geral.

Como actuar perante traumatismos?
Após um traumatismo dentário é conveniente ir ao dentista pois um tratamento precoce minimiza o risco de complicações posteriores. No caso dos dentes temporários, estes podem afectar directamente a formação dos definitivos (alterando a forma, cor, direcção de erupção, etc...). Nas fracturas dos dentes permanentes deve-se colocar o fragmento em soro fisiológico, leite ou água e consular um dentista urgentemente; na maioria dos casos pode-se aderir o fragmento ao dente fracturado. Se um dente permanente for acidentalmente removido procure rapidamente um dentista (cada minuto é vital), conservando o dente em soro, leite ou saliva, ou insira o dente cuidadosamente na sua posição inicial.

Qual a importância das radiografias?
Os modernos métodos e equipamentos actuais asseguram a máxima segurança e qualidade para o diagnóstico e tratamento dos dentes. As radiografias ajudam o dentista a avaliar o desenvolvimento dos dentes e maxilares e detectar possíveis problemas, tais como cáries iniciais ou ocultas, doenças paradontais, abcessos, alterações da forma dos dentes e/ou do seu desenvolvimento, dentes supranumerários, problemas radiculares, quistos e tumores, bem como controlar tratamentos efectuados em consultas de revisão.

Pais dentro ou na sala de recepção
A partir dos 3 anos, após a primeira consulta, recomenda-se que os pais permaneçam na sala de recepção. Não sinta que com esta regra está a abandonar a criança. Por um lado evita-se que transmitam medo ou ansiedade aos seus filhos, por outro, a comunicação entre o profissional e paciente melhora, já que as crianças se mostram muito mais predispostas a ouvir e colaborar quando não têm de dividir a atenção entre responsáveis e dentista. A grande maioria dos pequenos pacientes adquire uma conduta favorável que permite a realização segura e eficiente dos tratamentos. Quando existem dificuldades utilizam-se métodos complementares como a sedação ou anestesia geral, para poder tratá-los correctamente.

A prevenção é eficaz quase a 100% quando iniciada precocemente:
Limpe os dentes e boca da criança pelo menos duas vezes por dia (depois do pequeno almoço e antes de dormir), utilizando as técnicas específicas à idade do seu filho indicadas pelo dentista e/ou higienista oral. Não permita a utilização passiva do biberão enquanto a criança dorme - risco de cáries da primeira infância. Segure o biberão durante as refeições para que a criança aprenda que os pais a controlam. Introduza alimentos semi-sólidos na dieta a partir do 1ºano e substitua o biberão pela colher e copo - a mastigação ajuda a um correcto desenvolvimento ósseo e muscular. A utilização da chupeta deve ser desencorajada após o 1º ano para evitar deformações, e vigiar que não se desenvolvam hábitos de sucção digital (é mais prejudicial chupar o dedo que a chupeta). Nunca utilize adoçantes ou mel na chupeta (risco de cáries da primeira infância), nem cordões à volta do pescoço (risco de estrangulamento). Evite alimentos com elevado conteúdo de açúcares especialmente entre as refeições. A criança deve ser educada desde a infância a uma alimentação saudável. Uma correcta oclusão dos dentes temporários facilita: -A mudança fisiológica da posição da língua duma posição mais baixa, deglutinação infantil, à sua posição correcta na deglutinação madura, em contacto com o palato. -Uma correcta função respiratória que é fundamental para o desenvolvimento dos terços médio e inferior da cara. Até aos três anos serão os pais quem devem realizar a higiene oral dos seus filhos. A partir desta idade e à medida que a criança cresce a responsabilidade irá passando para ela, mas sempre com a supervisão dos responsáveis. Só a partir dos 6-8 anos é que adquirem uma capacidade psicomotora capaz de realizarem uma correcta higiene oral. Consulte regularmente o seu dentista e/ou higienista oral. Mais vale prevenir do que remediar!