BT Medical - шаблон joomla Скрипты
Periodontologia

Doença Periodontal

A doença periodontal (gengival), que inclui a gengivite e periodontite, consiste numa infecção bacteriana crónica que, quando não tratada, pode provocar a perda dentária. Esta doença afecta mais de 50% da população e é causada, principalmente pela placa bacteriana que se acumula sobre os dentes e gengivas. Existem, no entanto, outros factores que contribuem para o agravar da doença periodontal, tais como:
-Tabaco;
-Diabetes;
-Susceptibilidade genética.
www.efp.org/efp-societies/pt/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Periodontologia

Gengivite
A gengivite é a forma menos severa da doença periodontal. Nesta fase, as gengivas apresentam-se vermelhas, inchadas e com tendência para sangrar. Trata-se de uma situação reversível, pouco desconfortável e frequentemente causada por higiene oral incorrecta.


Periodontite
Nos indivíduos com tendência para a doença, a gengivite não tratada pode evoluir para periodontite. Nestes casos, o osso de suporte do dente "foge" da gengiva doente e os dentes começam a ter mobilidade. Durante o processo, as gengivas descolam das raízes dos dentes formando bolas periodontais, o que facilita a acumulação de bactérias e tártaro por debaixo das gengivas. Esta doença é vulgarmente conhecida como "piorreia".


Prevenção das doenças periodontais
A prevenção das doenças periodontais é feita através de uma higiene oral correcta por parte dos pacientes e nas consultas de controlo feitas pelo Médico Dentista ou Higienista Oral com um período de intervalo máximo de 6 meses. Etiologicamente, considera-se a placa bacteriana como o principal agente causal, no entanto, a susceptibilidade de cada indivíduo, o tabagismo e doenças sistémicas como a diabetes não controlada ajudam a compreender por que razão, para a mesma quantidade e qualidade de placa bacteriana, alguns indivíduos desenvolvem formas severas de doença e outros não. Muito interessante é o facto de hoje se ter demonstrado que, não só as doenças periodontais são influenciadas por condições sistémicas, como também elas próprias aumentam a prevalência e severidade da diabetes, do enfarte do miocárdio e até de partos pré-termo de baixo peso.
A Placa Bacteriana
A placa bacteriana é uma massa branca que se forma sobre os dentes e gengivas e que é constituída essencialmente por saliva, restos alimentares e bactérias. A sua remoção diária é essencial, e deve ser feita através da escovagem, fio/fita dentária ou utilizando outros acessórios como por exemplo o escovilhão.



Tratamento das doenças periodontais

Nos casos menos severos (Gengivites), pode ser suficiente a remoção de placa bacteriana e tártaro na superfície dentária por parte do Médico Dentista/Higienista associado a uma eficaz higienização oral diária por
parte do paciente. Nas periodontites, o tratamento passa pela descontaminação dos locais afectados, de forma a controlar a infecção instalada. Nesta situação está indicada a realização de destartarização e alisamentos radiculares nos locais afectados (com bolsas periodontais). Nos casos mais severos, onde as bolsas periodontais são muito profundas e a perda óssea muito avançada, torna-se tecnicamente difícil fazer o alisamento radicular sem afastar a gengiva de forma a visualizar a área. Nessas situações está indicada a realização de uma pequena cirurgia para expor as raízes e assim ter um acesso mais eficaz na descontaminação das mesmas. A cirurgia periodontal permite ainda alterar a forma das gengivas de modo a tornar mais fácil a manutenção de uma situação saudável e em certos casos permite até recorrer a técnicas de regeneração para recuperar osso de suporte previamente destruído pela doença.


Manutenção do tratamento periodontal
A doença periodontal é uma afecção crónica e, como tal, não tem cura. É, então, fundamental seguir-se um programa de manutenção apertado, cujo intervalo varia consoante o caso e a susceptibilidade do paciente para recidivas. Nas consultas de manutenção pretende-se monitorizar o controlo de placa bacteriana por parte do paciente, bem como pesquisar sinais de inflamação gengival e, caso existam, agir em conformidade.
Sinais de doença

-Inflamação das gengivas;
-Hemorragia gengival;
-Mobilidade dentária;
-Halitose.
Consequências da doença periodontal a nível sistémico
-Diabetes;
-Enfarto do miocárdio;
-Partos pré-termo de baixo peso;
-Infecções respiratórias;
-Artrite reumatóide;

A Escovagem dos Dentes / Fio e Fita Dentária

A escova de dentes deve ser adaptada a cada boca (cabeça pequena/média, suave ou média/suave) e de acordo com as necessidades de cada pessoa (saúde ou doença gengival). A escovagem deve ser feita em todos os dentes presentes na boca, limpando todos os lados, de fora, de dentro e nas superfícies que mastigam.
Escove os dentes 2 a 3 vezes ao dia, dando a maior importância à escovagem da noite.
Use um dentífrico com flúor.

Como Escovar os Dentes de Forma Eficaz?
 

O fio/fita dentária são usados nos espaços entre os dentes, como complemento à remoção da placa bacteriana feita pela escova, prevenindo desta forma as principais doenças da boca (cárie dentária e doença gengival).
O fio/fita devem ser usados 1 vez por dia de preferência à noite e antes de escovar os dentes.

Como utilizá-los?

Coloque a escova na boca virando os pêlos para a gengiva, com um ângulo aproximado de 45º (junção do dente com a gengiva).
 
Retire da embalagem uma quantidade de fio suficiente (cerca de 25 cm).

Inicie a escovagem pelos dentes molares (dentes de trás) fazendo com sequência todos os dentes, usando movimentos de vaivém, curtos e suaves, entre cada 2 a 3 dentes.
 
Enrole uma ponta de fio num dedo médio e o restante fio no dedo médio da outra mão.

Escove cada maxilar em separado, limpando todas as partes de fora dos dentes, todas as partes de dentro e as superfícies que mastigam.
 
Introduza o fio entre os dois dentes com movimentos vaivém (para não ferir a gengiva) até chegar ligeiramente abaixo da margem gengival (onde existe um sulco).


Termine a técnica escovando a língua com movimentos de saída, utilizando a escova de dentes ou um rapador de língua.
   
Vire o fio para a superfície lateral de um dos dentes e faça movimentos de vaivém, para cima e para baixo. Faça o mesmo na superfície lateral do outro dente do mesmo espaço. Ao retirar o fio repita os movimentos de vaivém para melhor higienizar o ponto de contacto entre os dentes.
  

Outros meios de remoção de Placa Bacteriana

  Escovilhão    

  É outro meio de remoção de placa usado para limpeza dos espaços interdentários com diferentes tamanhos, devendo ser adaptado o tamanho ao espaço a higienizar.
   
Antes    Depois
   
Antes
  Depois
Antes
 
  Depois